Escola cristã é advertida: Não ensine passagens bíblicas que sejam "ofensivas" para os gays

Membros da comunidade LGBT, parte de um órgão do governo emitiram a advertência


"Absolutamente chocante" - Essa foi a reação do chefe de uma escola pública cristã no Canadá depois de receber uma carta do órgão do governo que forneceu seus fundos, alertando que a escola não deveria ensinar passagens bíblicas que poderiam ser consideradas "ofensas" por algumas pessoas, particularmente os membros da comunidade LGBT.

Deanna Margel, presidente da Cornerstone Christian Academy, em Alberta, no Canadá, disse que as instruções do órgão de financiamento da escola, a Divisão da Escola de Battle River (BRSD), equivale a um ataque à liberdade de religião e à liberdade de expressão.

Ela disse em seu email, a divisão da escola disse a Cornerstone que certas passagens das escrituras podem "denigrar ou vilipendiar" as pessoas LGBT. "Qualquer escritura que possa ser considerada ofensiva a indivíduos particulares não deve ser lida ou estudada", afirmou a carta.

Em Alberta, escolas cristãs como a Cornerstone obtêm seus fundos públicos por meio de um acordo entre a escola e um conselho como o BRSD.

A Cornerstone procurou aconselhamento jurídico do Centro de Justiça para Liberdades Constitucionais  (JCCF), um grupo de liberdade religiosa que visa defender os direitos constitucionais dos canadenses.

Um porta-voz do JCCF apontou que os curadores do BRSD "não têm o direito de impor sua própria ideologia em escolas com as quais eles não concordam".

Em resposta, um porta-voz da BRSD disse que se sentiu compelido a fazer a demanda após uma mudança na legislação de direitos humanos do Canadá.

A Cornerstone pode optar por demitir a demanda do BRSD, mas, ao fazê-lo, poderia perder o financiamento. A escola pode procurar um novo conselho para obter fundos públicos ou encontrar financiamento privado ou fechar, de acordo com o Instituto Cristão.

Na semana passada, o Senado canadense aprovou esmagadoramente uma lei sobre os direitos dos transgêneros por 67 votos contra 11,  informou a LifeSite News .

O projeto de lei acrescenta "expressão de gênero" e "identidade de gênero" ao Código de Direitos Humanos do Canadá e à seção de crimes de ódio do Código Penal.

Os críticos advertem que, de acordo com o projeto de lei C-16, os canadenses que negam a teoria do gênero podem ser acusados ​​de crimes de ódio e, posteriormente, multados e até mesmo presos.

Entre os críticos, o professor de psicologia da Universidade de Toronto, Dr. Jordan Peterson, disse ao comitê do Senado durante uma audiência que o Bill C-16 é uma ameaça sem precedentes para a liberdade de expressão e codifica uma falsa ideologia da identidade de gênero na lei.

com informações Christian Today