Carnaval de Olinda terá espaço LGBT e Gospel, graças a prefeito evangélico

Contrariando as previsões de que acabaria com o Carnaval 2017 caso fosse eleito prefeito de Olinda, o Professor Lupércio (foto), declar...


Contrariando as previsões de que acabaria com o Carnaval 2017 caso fosse eleito prefeito de Olinda, o Professor Lupércio (foto), declaradamente evangélico, surpreendeu ao institucionalizar o polo LGBT na festa deste ano. A diversidade da folia também se mostra na escolha de um polo Gospel.

"A manisfestação gospel é mundial. Respeitando a diversidade cultural, com artistas dentro da filosofia cristã apresentando vários ritmos. Como em Olinda é muito forte, decidimos tomar essa medida. Já a Rua de 13 de Maio sempre foi um lugar de grande concentração do público LGBT. Neste ano, vamos dar uma maior visibildiade junto à Secretaria de Direitos Humanos, fazendo um trabalho legal contra a homofobia", afirmou o secretário de patrimônio e cultura, Afonso Oliveira.

Imagem redimensionadaA bancada evangélica na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) não gostou e centrou fogo, nesta quarta-feira (8) no Polo Gospel que o prefeito evangélico de Olinda, Professor Lupércio (SD), anunciou para o Carnaval de 2017.

"Fazemos todo um esforço para tirar a juventude das drogas e da promiscuidade, e isso pode se perder se essas pessoas participarem do Carnaval", afirmou Adalto Santos (PSB).

"Se for necessário, vamos reunir um grupo de parlamentares e conversar com o prefeito sobre o “prejuízo espiritual” que a iniciativa trará para a nossa juventude. Como o gestor também é evangélico, é alguém que sabe o custo que é perder uma alma", disparou o parlamentar.

Jadeval de Lima (PDT) e Bispo Ossésio Silva (PRB), que também integram a bancada evangélica, também criticaram a proposta.

"Foi muito triste o prefeito dizer que vai fazer ‘o melhor carnaval’. Ao invés disso, ele deveria dizer que que vai construir as melhores escolas e hospitais em Olinda", afirmou Cleiton Collins (PP). "Evangélico não brinca no Carnaval. O que devemos fazer é evangelizar e cuidar dos feridos nesta festa, que provoca muitos problemas com álcool e drogas", completou.

DEFESA
Antônio Moraes (PSDB) e Teresa Leitão (PT) saíram em defesa do prefeito de Olinda. "A criação de polos descentralizados já vem de anos anteriores, e as atrações evangélicas vão ficar na Avenida Presidente Kennedy, onde hoje não tem Carnaval. Acredito que devemos dar um voto de confiança ao gestor", explicou a petista.

Lupércio integrou a bancada evangélica da Alepe desde 2015 até ser eleito prefeito de Olinda no segundo turno, com 120,2 mil votos, contra 90,5 mil do advogado Antônio Campos (PSB).

Fonte: NE10 e JC online