"Que esse desgraçado apodreça na cadeia" comenta Magno Malta sobre marido de Bianco Toledo

Assista - Magno Malta comentando o caso de abuso envolvendo o Pr Felipe, ex-marido de Bianca Toledo (TSE)


Senador Magno Malta, em plenário, relatou o drama da pastora Bianca Toledo, que teve o filho de cinco anos, abusado pelo ex-marido, o pastor Felipe Heiderich, que já está preso na unidade de Bangu, no Rio de Janeiro, Lideranças religiosas, pela responsabilidade, pediram ao senador para expor as verdades com transparência para todo o Brasil. Magno Malta, que chamou Felipe, de falso pastor, que é réu confesso, inclusive assumiu o homossexualismo, explicou que o ex-marido da pastora Bianca tem que pagar pelos seus atos. O senador, que presidiu a CPI da Pedofilia, defende prisão perpétua para abusadores de crianças.

No Senado Federal, na tarde desta terça-feira, Magno Malta que fez uma verdadeira cruzada no Brasil contra a pedofilia, disse que após a CPI sua vida mudou e não consegue viver com pedófilos e os crimes de pedofilia. “É uma figura asquerosa, é uma sombra capaz de enganar a todos. Nesta minha grande cruzada eu prendi religiosos, padres e pastores. Mas faça a ressalva, não existe padre pedófilo e nem pastor pedófilo, o que existe é criminoso, bandido, que usou do sacerdócio para aproximar de crianças e abusar sexualmente. Só quando um pedófilo é flagrado, ele é revelado. Assim descobre-se um passado de sofrimento, lágrimas e sangue”, explicou Malta.

Senador recebeu, com muita tristeza, de lideranças evangélicas, em virtude da responsabilidade dos fatos, para esclarecer para todo o Brasil, o drama da pastora Bianca Toledo. “Eu fui buscar os fatos. Bianca descobriu com comprovações que este falso pastor estava abusando do seu filhinho de cinco anos de idade. Hoje pela manhã. Falei com as autoridades do Rio de Janeiro, que já tomaram as providências. O advogado do pedófilo já entrou com um habeas corpus, mas não obteve êxito. Não falo de morte, mas defendo mudança na Constituição Brasileira para que possamos aplicar prisão perpétua em casos de pedofilia, corrupção e crimes hediondos”.

Continuou Magno Malta, “eles são contumazes e irrecuperáveis, por isso este falso pastor não pode voltar para as ruas. Então, este falso pastor, Felipe, internado, sabendo que várias pessoas confirmaram o crime, também confessou os abusos contra o enteado, após uma tentativa de suicídio. Confio nas autoridades do Rio de Janeiro para que este crime não fique impune”, finalizou Magno Malta.

Assista: