Vídeo do estupro coletivo: polícia prendeu dois suspeitos

E finalmente a polícia começou a prender os envolvidos no estupro coletivo da garota de 16 anos, no Rio de Janeiro. O caso chocou o país...


E finalmente a polícia começou a prender os envolvidos no estupro coletivo da garota de 16 anos, no Rio de Janeiro. O caso chocou o país inteiro e resultou em uma onda de protestos para o fim da impunidade em relação não só a este, mas a tantos outros estupros que acontecem diariamente por todo o país. Dois dos suspeitos já estão presos, sendo que Raí de Souza, 22 anos, acusado de gravar o estupro e postar o vídeo no Twitter, se entregou na Delegacia da Criança e Adolescente Vítima.

O rapaz admitiu que manteve relação sexual com a garota. O jogador Lucas Perdomo Duarte Santos, 20 anos, também já está preso e sua defesa alega que não há fundamento para esta prisão.

Os dois acusados já se encontram na Cidade da Polícia, zona norte do Rio de Janeiro. Eles chegaram a dar depoimento na última sexta-feira (27), mas acabaram voltando para casa e até deram entrevista dizendo que tinham provado que o estupro foi uma invenção da jovem. Porém, Raí chegou a assumir ser o autor da divulgação do vídeo na rede social.

Perdomo foi apontado pela garota como seu namorado, mas ele já garantiu que não tem nenhum relacionamento com ela e negou ter participado no estupro. A delegada Cristiana Bento pediu a prisão temporária de 6 suspeitos, sendo que até ao momento somente estes dois foram encontrados, os outros estão foragidos e a polícia trabalha para prendê-los o mais rápido possível.

Os parentes e vizinhos de Raí, acusado de divulgar o vídeo do estupro coletivo no Twitter, se uniram na manhã desta segunda-feira (30) para protestarem na praça Lagoa Seca, região próxima ao imóvel onde o crime aconteceu. No protesto foram mostrados cartazes dizendo que não houve estupro. A polícia militar foi chamada e, com spray de pimenta, dispersou logo os manifestantes.

O advogado do jogador preso nesta segunda-feira disse que não existe fundamento jurídico para a prisão do rapaz e que ele sempre esteve à disposição da polícia. Além disso, afirmou que não esteve envolvido no estupro coletivo e que manteve relações sexuais somente com uma outra garota, e quem manteve intimidade com a jovem foi o Raí, o mesmo que postou o vídeo.