Ex-BBB Laércio é preso por estupro, e Globo tenta justificar: “Pedofilia não é crime”

O ex-participante do BBB, Laércio, participou do Mais Você, programa matinal da rede Globo e deu declarações chocantes. Durante o Bi...


O ex-participante do BBB, Laércio, participou do Mais Você, programa matinal da rede Globo e deu declarações chocantes.


Durante o Big Brother ele foi acusado de pedofilia pela participante Ana Paula. O assunto foi amplamente comentado nas redes sociais. Logo se tornou um dos assuntos mais comentados na última quarta (3).

A imensa maioria das postagens condenava a posição da Globo, que parecia apoiar o ex-BBB e, indiretamente, tentar mostrar a pedofilia como um comportamento aceitável.

Conversando com Cissa Guimarães e André Marques, no Mais Você, Laércio, 53 anos, admitiu ter se relacionado com duas meninas ao mesmo tempo: uma de 19 e outra menor de idade, de 17. Nesse “triângulo amoroso” uma delas seria bissexual e a outra, lésbica.

Estava presente na atração a advogada Silvana Góes, que afirmou claramente: “pedofilia em si não é crime”. Segundo ela, trata-se da “condição de uma pessoa que se sente atraída sexualmente por crianças e adolescentes”. Logo, para o direito “só é crime quando essa pessoa pratica atos sexuais com crianças menores de 14 anos. Não é crime ter relacionamento sexual com pessoas de mais de 14 anos desde que esse relacionamento seja da vontade de ambos”, disse.

As declarações de Laércio e, também dos apresentadores, que pareciam tentar defender o ex-BBB das acusações, tiveram repercussão negativa imediata nas redes sociais. Cissa ainda deixou no ar que “tem muitos amigos de 17 anos”.

Em entrevista à revista VEJA, o professor de direito na FGV do Rio de Janeiro Gustavo Kloh explicou que, segundo o Código Penal, o ato sexual com pessoa de até 14 anos é considerado ‘estupro de vulnerável’. Mas fez a ressalva que para pessoas na faixa etária de 15 a 18, o assunto é motivo de controvérsia no meio.

“Não existe um crime de pedofilia, existe outro crime grave chamado estupro. E sexo com menor é estupro”, assevera. Kloh ressaltou ainda que os defensores do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) lutam pela proteção ao adolescente de até 18 anos.

“O problema é que vivemos no Brasil. A sensualização precoce faz parte da cultura das ‘novinhas’. Você liga a TV e vê nas novelas que o adolescente não é respeitado”, sentenciou.

Ainda segundo o professor Kloh, Laércio poderia ser denunciado por apologia ao ato criminoso, ou seja, incentivar de forma indireta a pratica de um crime, no caso, o relacionamento com menores. Se condenado, a pena varia entre 3 e 6 meses de detenção.