Junto com Dilma, Obama ver estrategias contra o zika vírus


A presidente Dilma Rousseff telefonou, na noite desta sexta-feira (29), para o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, para falar sobre medidas de combater ao vírus zika.
O objetivo da conversa foi aprofundar a cooperação bilateral na área de saúde, para o combate e desenvolvimento de uma vacina.

Nesta semana, o norte-americano reuniu os principais assessores de saúde e segurança do país e cobrou agilidade no desenvolvimento de uma vacina contra o zika, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti. A partir do contato realizado hoje, foi criado um "grupo de alto nível" entre os dois países, para "desenvolver sua parceria na produção de vacinas e produtos terapêuticos".
Essa cooperação se dará a partir de parceria entre o Instituto Butantan e o National Instituto of Health, que já estão em contato para produção de vacina contra a dengue, segundo o Palácio do Planalto.

"Os presidentes determinaram a realização de contatos entre a Departamento de Saúde dos Estados Unidos e o Ministro da Saúde do Brasil, com o objetivo de aprofundar a cooperação", diz a nota.
De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), o zika já está presente em 22 dos 55 países e territórios das Américas. A entidade estima um total de 4 milhões de infectados na região - 1,5 milhão deles no Brasil.

Hoje, a presidente reiterou a fala do ministro Marcelo Castro (Saúde) e reconheceu que o Brasil está perdendo a batalha contra a doença. Mas, ela se mostrou otimista e disse que o país vai vencer a guerra. "Não vou dizer que estamos ganhando a luta. Agora, nós vamos ganhar esta guerra. (...) Por que criar um problema com a constatação da realidade? Dizer que estamos perdendo é porque nós queremos ganhar", afirmou Dilma.
DEIXE SEU COMENTÁRIO ()