Autora de Os Dez Mandamentos vai fazer série no estilo Game Of Thrones inspirada na Bíblia

Autora de Os Dez Mandamentos vai fazer série no estilo Game Of Thrones inspirada na Bíblia

A autora Vivian de Oliveira, responsável pela novela Os Dez Mandamentos, diz que não enxerga a produção da Record como uma atração bíblica, e sim, como um clássico inspirado na Bíblia, e anunciou que a série sugerida por ela nos moldes de Game of Thrones deverá ir ao ar em 2017.

Na entrevista concedida ao jornalista Maurício Stycer, Vivian de Oliveira – que é evangélica – destacou que os fatos narrados na Bíblia sempre rendem boas histórias: “[Os Dez Mandamentos] ficou marcada como história bíblica porque é inspirada na Bíblia, mas se fosse assim, novelas inspiradas em um texto literário poderiam ser chamadas de ‘novela literária’. Não vejo assim, é uma trama histórica, que poderia ter sido inspirada em um clássico. A TV brasileira precisa de boas ideias, independentemente de ser bíblica ou não. Acontece que as bíblicas geralmente são muito boas e o Brasil está descobrindo isso agora. Hollywood já vinha explorando isso”, afirmou a autora.

Para atender o pedido da direção da Record e esticar a atração em 20 capítulos, ela contou que precisou dar mais espaço às tramas paralelas, criadas especificamente para o folhetim: “A novela fala da compaixão humana, das inseguranças, das paixões proibidas, as ambições, injustiças e conflitos. Resgata os valores familiares. O ser humano conhece todos esses sentimentos, ele passa por isso, por isso rola uma identificação imediata. Os dilemas são os mesmos”, pontuou.

Sobre a série ao estilo Game of Thrones, Vivian diz que o projeto será chamado Reinos e deverá ter 13 capítulos na primeira temporada, além de ser inspirada na Bíblia, contando as disputas pelos territórios da Babilônia, Macedônia e Canaã após a queda de Salomão.

A ideia, diz ela, surgiu quando fazia pesquisas para criar o conceito da minissérie Rei Davi: “A cara do projeto é mais ousada mesmo, com uma linguagem mais adulta. A ideia é termos uma narrativa inteligente, com conspiração política, instigante. Nesse caso, a nudez é o que menos interessa”, afirmou.

Sobre o sucesso alcançado pela novela, Vivian acredita que isso é fruto de trabalho: “Acho bom ter alguém fazendo sucesso fora da Globo. Mais mercado para todo mundo”, observou. “Tudo isso dá subsídio para criar. Muitas vezes deixo de lado a parte verídica [da história bíblica], até para não virar um documentário, e uso a licença poética”, acrescentou, frisando que toma cuidado para que uma não contradiga a outra.

“A Record descobriu um nicho de mercado e que está dando certo, enquanto muita gente acreditava que não daria certo. Fui ganhando experiência e o que mais quero é continuar nesse ramo [temas bíblicos] até que se esgote”, concluiu.