A história de um pescador que virou peixe

" E, de igual modo, também de Tiago e João, filhos de Zebedeu, que eram companheiros de Simão. E disse Jesus a Simão: Não temas; de...


"E, de igual modo, também de Tiago e João, filhos de Zebedeu, que eram companheiros de Simão. E disse Jesus a Simão: Não temas; de agora em diante serás pescador de homens."

Lucas 5:10

Tudo aquilo que encontramos registrado nos evangelhos chegamos a uma conclusão objetiva do propósito dos mesmos, e ela é: Salvação. No episódio mencionado anteriormente, pode-se notar a sensibilidade de um homem cuja função era de um pescador e que tornou-se um peixe. Como? Analisaremos a seguir.

Simão, o Pescador

A pesca é tida como um meio para fins como a alimentação ou até mesmo para comercialização, e Simão trata-se de um homem que entende muito bem de pesca. Talvez o tempo lhe agregou muitas experiências que traziam-lhe o abastecimento cotidiano de sua dispensa.

Embora comumente tivesse muito progresso em sua profissão, parece que agora Simão está vivendo um complexo muito grande. O homem que conhecia muito bem a pescaria está voltando de uma pesca sem peixes. Está tornando para seu lar sem o fruto do seu trabalho. Todo esforço durante a noite foi perdido e este não trouxe a ele resultado algum, senão, meras redes sujas e que consequentemente custariam-lhe mais trabalho, mais empenho, para que assim em outra oportunidade as redes estivessem prontas para uso.

Sermos bem sucedidos naquilo que fazemos não nos trás a certeza de sucesso, mesmo porque a vida é constituída de determinados tipos de frustrações que despertam em nós a decepção. Portanto, aprendemos nesse episódio que a experiência, na maioria das vezes não ajuda.

Jesus usa o barco de Simão como púlpito e dá uma ordem

Nos primeiros versículos do capítulo 5 do evangelho segundo escreveu Lucas, encontraremos Jesus em mais uma de suas exuberantes pregações perto do lago de Genesaré, ele avista dois barcos e os pescadores que voltavam da pesca sem sucesso e entra em um deles, que é o de Simão. Mais adiante Jesus pede a ele que afaste o barco que estava próximo a margem do rio e vá para mais fundo. De lá, o Mestre inicia sua ministração "...e, assentando-se, ensinava do barco a multidão." (Lc 5.3b).

De repente, Simão e os seus companheiros são surpreendidos com uma proposta inusitada de Jesus. "faze-te ao mar alto, e lançai as vossas redes para pescar." (Lc 5.4). Ora, eles poderiam considerar isso uma tentativa sem sucesso, pois haviam trabalhado a noite inteira, tinham gastado suas energias e deveriam estar demasiadamente cansados, com fome e sono. O que possivelmente permeava a cabeça daqueles homens no então momento era alimentar-se, descansar e depois partir para uma nova pesca. O interessante não é ouvir a ousadia em que Jesus tem naquele momento, mas acompanhar a reação de Simão, o pescador experiente.  "E, respondendo Simão, disse-lhe: Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos, mas, porque mandas, lançarei a rede." (Lc 5.5). 

Em algumas circunstâncias negamos soluções (que vêm de Jesus) que aparentemente parecem não fazer sentido algum e por isso precisamos controlar o nosso orgulho desenfreado que priva o direcionamento de Cristo para as nossas vidas. O Mestre é extremamente cuidadoso, crítico, racional e enfim idealizador de uma solução que acarreta possibilidades.

Eles trabalharam a noite inteira! Não foi a metade, um terço, foi a noite inteira! Mas mesmo assim optaram por ouvir a ordem de Jesus, e a ordem gera uma consequência extraordinária. "E, fazendo assim, colheram uma grande quantidade de peixes, e rompia-se-lhes a rede." (Lc 5.6).

O que quero enfatizar aqui não é a ideia de uma "teologia da prosperidade", mas frisar que o agir do Jesus, a princípio é incompreensível, mas depois que seguimos suas instruções (Bíblia Sagrada), passamos a desfrutar de um caminho próspero espiritualmente, e os setores de nossas vidas são marcados por experiências que nunca dentro do nosso barquinho, na pescaria "tradicional" tivemos.

Jesus não é apenas um solucionador de problemas, mas o Salvador

O propósito fundamental de Cristo é tirar-nos da pescaria habitual, da pescaria clássica e conduzir-nos à uma maneira diferente de pescar, um estilo diferente de vida. O ceticismo presente na maioria das pessoas impossibilita-as de enxergar o estilo diferente de viver ao lado de Cristo. Precisamos abrir mão da visão cética e amadurecer nosso entendimento, nosso coração, para que vivamos e desfrutemos de uma comunhão maior com Jesus.

Desde o princípio, Jesus tinha um propósito em sua pregação no barco de Simão e na ordem que ele dá para que lançassem a rede (Lc 5.4). E este propósito é desencadeado no versículo 10 de Lucas 5. O mestre lança sua rede, assume o papel de um pescador e diz a Simão: "Não temas; de agora em diante serás pescador de homens." (Lc 5.10). Aleluia! Simão não é mais um simples pescador de peixes, mas um pescador de homens, um instrumento nas mãos de Cristo.

Prepare as redes. Lave-as! Não é hora de parar a pescaria, mas hora de iniciá-la novamente, e dessa vez, diferente, porque Jesus está no barco e no controle da pesca! 

Jesus quer fazer do nosso barco um meio de alcançar outras vidas através da pregação do evangelho, um instrumento de milagres, e principalmente uma ligação entre nós e Deus, atribuindo-nos através de sua imensa misericórdia, a graça.

Deus vos abençoe!

Em Cristo,
João Paulo, editor do Ligado no Gospel.