Paulo e Silas: Homens guiados por Deus

Texto: Atos dos Apóstolos 16:25-31 Ao falar de cárcere podemos utilizar o sinônimo " dificuldade ", que qualifica sem a m...


Texto: Atos dos Apóstolos 16:25-31

Ao falar de cárcere podemos utilizar o sinônimo "dificuldade", que qualifica sem a mínima dúvida a situação vivenciada por alguém que se encontra encarcerado. E é a respeito dessa situação que falaremos.

Abordaremos neste artigo o texto bíblico que gira em torno de dois homens de Deus: Paulo e Silas. Mas para isso, precisamos entender um pouco da história.

A Visão de Paulo

Lemos na Bíblia Sagrada que Paulo está em Trôade e tem uma visão de um varão que aparece a ele pedindo-lhe que atravesse à Macedônia afim de que os ajudasse (v.9). Observe que aqui o verbo "ajudar" está no plural e esse versículo nos dá a entender, então, a necessidade de amparo, auxílio, socorro, proteção (são alguns sinônimos do verbo ajudar), de mais de uma pessoa. Com toda a certeza o povo macedônio estava precisando urgentemente ouvir o evangelho de Jesus. 

Paulo, em sua segunda viagem missionária, acompanhado por Silas está navegando de Trôade em direção a Macedônia. Passa por Semotrácia, por Neápolis e chega finalmente ao lugar que Deus selecionou para essa viagem: Filipos. Ao chegar em Filipos, Paulo e Silas começam aquilo que Cristo havia lhes comissionado: a pregação do Evangelho. É sábado e eles estão em busca de um lugar destinado a oração (v.13), para que suas pregações pudessem alcançar as pessoas daquela colônia macedônia.

Os primeiros efeitos da viagem de Paulo e Silas

1 - Salvação. Nesse singelo e simples lugar que a Bíblia não nos introduz muito saber, mas está escrito que tratava-se simplesmente de um espaço para oração e pregações que tinha como foco, é claro, a palavra de Deus, (v.13), veremos que uma mulher chamada Lídia, comerciante de Tiatira, será alcançada pela ministração de Paulo, o SENHOR abre seu coração, depois é batizada ela e a sua casa.

2 - Transformação. Após o acontecido Paulo e Silas estão indo orar, quando uma jovem com espírito de adivinhação vem até eles e começa a lhes falar dizendo: "estes homens, que nos anunciam o caminho da salvação, são servos do Deus Altíssimo" (v.17). Por muitos dias, a Bíblia diz, essa jovem fazia o mesmo. Mas o que revelava a ela a identidade dos servos de Deus, era nada mais, nada menos que aquele espírito de adivinhação que nela estava. Paulo perturba-se com isso e expulsa aquele espírito que dava lucros aos senhores da jovem.

O cárcere como meio de Deus 

Após Paulo haver expulsado o espírito que estava, talvez, revolucionando os negócios daqueles homens, eles sabiam que não haveria mais lucro para eles já que quem lhes proporcionava isso durante muito tempo, não poderia mais agir. Agora ambos (Paulo e Silas) são conduzidos a presença dos magistrados, acusados, e consequentemente, sentenciados. E como costume romano, têm suas vestes rasgadas, (pois a sentença era aplicada a corpo desnudo), (vv.21,22,23) e são açoitados com varas. 

Eles são lançados dentro do cárcere, tendo os pés amarrados ao tronco, as costas ensanguentadas, laceradas pelos açoites, e perto da meia-noite estão orando e cantando hinos a Deus de maneira que os outros presos escutavam-os, e de repente sobrevêm um grande terremoto, que os alicerces do cárcere se movem, e logo abrem-se as portas, e são soltas as prisões de todos (v. 25,26). Ao ver que todas as portas estavam abertas, o carcereiro se desespera, atemoriza-se, saca a espada e quer matar-se, "Mas Paulo clamou com grande voz, dizendo: Não te faças nenhum mal, que todos aqui estamos.". 

SALVAÇÃO

Aquele homem que era responsável pelos presos, prostra-se ante Paulo e Silas, depois tira-os para fora e indaga-os: Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar? A resposta deles é muito objetiva: "Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa." (v.31).

Conclusão


Estar conduzido por Deus, guiado por Ele, no centro de sua vontade, não é garantia de vida livre de adversidades. Paulo e Silas estavam no caminho traçado por Deus, mas ainda assim passaram por aflições que marcaram-os tanto fisicamente quanto emocionalmente, mas isso provocou neles uma reação que todos nós devemos ter em meio a situações difíceis: louvar a Deus e crer no poder dEle através da oração. Pois está escrito em Tg 5:16: "A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.". Assim como Lídia, como aquela jovem que possuía um espírito de adivinhação, como este carcereiro creram, a graça nos é atribuída quando mediante a fé cremos que Jesus é o único e suficiente salvador. Creiamos, a cada dia, no redentor. Em Jesus, o Cristo, o filho de Deus.

Deus vos abençoe com as mais ricas bênçãos celestiais.