Feliciano repudiou a queima de Bíblia na Universidade Federal do Acre

Marco Feliciano (PSC-SP)
O pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) repudiou a queima de uma Bíblia, ocorrida durante um sarau na Universidade Federal do Acre (Ufac) no último dia 30 de abril. Ao G1, Feliciano disse acreditar que os envolvidos no ato precisam ser responsabilizados.

"Eu respeito a todos, inclusive, ateus, mas no momento em que eles vilipendiam um símbolo religioso universal, têm que arcar com esta responsabilidade com o agravante de ter sido utilizado o espaço de uma universidade federal. Demonstrando uma intolerância religiosa inadmissível no dias de hoje, fomentando ódio entre compatriotas", afirmou.

Em sua fanpage no Facebook, o deputado chegou a dizer o ato foi uma demonstração de "intolerância religiosa e incitação ao ódio" e disse que orava pelos que queimaram o exemplar da Bíblia. "Finalizo esse protesto, lembrando a minha condição de pastor, pedindo a Deus que ilumine essas mentes com a luz do conhecimento que liberta e derrame as mais especiais bênçãos dos céus sobre todo povo lindo do estado do Acre", acrescentou.

Feliciano disse ainda que chegou a enviar e-mail e ofício para a Polícia Civil solicitando instauração de inquérito por vilipêndio a símbolo religioso.

De acordo com o secretário de Polícia Civil do Acre, Carlos Flávio Portela, o documento chegou ao órgão na quinta-feira (7) e um inquérito já foi instaurado na Delegacia da 4ª Regional de Rio Branco para investigar o caso. Ainda segundo ele, os responsáveis pela queima da Bíblia poderão ser enquadrados no artigo 208 do Código Penal Brasileiro.

"O delegado vai requisitar imagens, identificar os autores do pretenso crime, chamar testemunhas. Inclusive, se ficar comprovado a participação de mais de uma pessoa no vilipêndio praticado, todos responderão nos termos do artigo 208, cuja pena não supera 1 ano de detenção", explica.

Via G1
DEIXE SEU COMENTÁRIO ()