A BÍBLIA TRADUZIDA DO ORIGINAL COMO VOCÊ NUNCA VIU ANTES NO 4º SALÃO INTERNACIONAL GOSPEL

O que você faria se descobrisse que existem passagens na sua Bíblia que não foram traduzidas exatamente como seus autores escreveram ...



O que você faria se descobrisse que existem passagens na sua Bíblia que não foram traduzidas exatamente como seus autores escreveram no passado? O que faria se descobrisse que algumas mudam até o sentido do texto original? Se você gosta de estudar e deseja descobrir o que existe por trás de tudo isso, então você não pode perder o pré-lançamento e a palestra da "Brit Hadasha – Restauração da Aliança", escrita pelo Rabino Mario Moreno. A Bíblia é uma tradução que traz de volta aquilo que foi sendo perdido sistematicamente através de anos e anos. Ele explica: "A cada nova “tradução” a corrupção do texto bíblico tornava-se ainda maior! Tomemos por exemplo qualquer Bíblia que tenhamos à mão: ali estão “misturados” três elementos que consideramos incompatíveis: tradução, transliteração e modificação. Vamos analisar ponto a ponto para entendermos do que se trata esta questão tão delicada.
Tradução: Esta palavra quando examinada no dicionário significa literalmente: “Verter uma palavra de uma língua estrangeira para outra”. Este aspecto implica em fidelidade ao que está registrado na língua a ser traduzida, pois qualquer mudança implicará na diminuição do entendimento por parte de leitor da obra. Isso em se tratando de tradução é uma verdade incontestável, quanto mais quando tratamos da tradução das Escrituras!
Transliteração: “Reduzir letra por letra de um sistema de escrita para outro”. Esta redução mantém a palavra no original. Porém, no caso das Escrituras, palavras que foram somente transliteradas ganharam significados completamente novos e estranhos à sua identidade original Hebraica. Exemplo: a palavra “Pentecostes” foi transliterada da língua grega e significa “do quinquagésimo dia”. Todos nós sabemos que esta palavra em português tornou-se símbolo de “poder” e “unção” relacionados à vinda do Espírito Santo. Porém, originalmente, ela refere-se à uma Festa Bíblica realizada em Ierushalaim (Jerusalém).
Modificação: Transformar o significado da palavra original dando a ela uma outra forma e significado. Exemplo: os nomes na Bíblia. Quase todos os nomes na Bíblia foram modificados. Os exemplos mais fortes são aqueles que dizem respeito aos nomes do Eterno e do Ungido (Messias). O nome do Eterno é IHVH (um nome impronunciável) ao qual os teólogos, através de acréscimos – e portanto, modificações – chegaram às formas: Iavé, Javé ou Jeová! Um outro exemplo está no nome de “Jesus” que foi modificado do original, que é Ieshua!
Depois de verificarmos estas condições nos textos bíblicos encontrados no mercado brasileiro, resolvemos então adotar somente um critério em nossa tradução: usamos a literalidade (fidelidade total ao texto hebraico) a fim de traduzirmos um texto ou uma expressão hebraica. Isso aplica-se de forma muito intensa aos nomes, pois um nome reflete de forma direta o caráter de seu possuidor. Na medida do possível procuramos explicar o significado de cada nome que foi traduzido mantendo-o sempre em sua forma original. Esperamos que por meio deste trabalho possamos rever nossos conceitos herdados de Roma – que nada mais é que a continuidade dos impérios mostrados no livro de Daniel – o qual “aglutina” aquilo que cada império tem de pior e isso nos foi transmitido como sendo a mais pura e bela verdade! As tradições da Igreja foram transmitidas e herdadas através dos ensinamentos de homens que não conheciam a Torah – que é base do ensino nas Escrituras – e portanto, não sabiam de fato que aquilo que falavam estava em desacordo com o restante da Palavra do Eterno! Rever a história nos ajudará a comprovar isso que digo aqui...", o Rabino Mario Moreno, além da palestra e do pré-lançamento da "Brit Hadasha", pretende receber a imprensa para um bom e interessante papo dentro do 4º Salão Internacional Gospel,feira que representa o setor, de 6 a 8 de Agosto, no Expo Center Norte, em são Paulo.