Sem o perdão de Deus

Lc 3:8 “Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento” Ef 2:4 diz que Deus é rico em misericórdia e a bíblia está repleta de afirmaçõe...

Lc 3:8 “Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento”


Ef 2:4 diz que Deus é rico em misericórdia e a bíblia está repleta de afirmações onde Deus declara estar disposto a perdoar. Entretanto, há pessoas que não recebem o perdão de Deus. Em At 8:22-23 Simão deseja adquirir o Espírito Santo com dinheiro. Pedro então ordena que Simão se arrependa e talvez fosse perdoado. Por que talvez? É que Pedro não estava plenamente convencido em relação ao arrependimento de Simão.

Há muitas pessoas que até dizem: “Pequei!”, mas será que é um arrependimento verdadeiro? João não acreditava que o arrependimento buscado por muitos judeus ao virem para o batismo era verdadeiro, pois isso disse que eles produzissem frutos dignos de arrependimento.

O que é um arrependimento genuíno?


1-Arrependimento é conversão

Em Jn 3:9-10 Deus ordena que os ninivitas se arrependam. O verso 10 então afirma que eles se converterão. Aqui está uma bela definição do que é arrependimento: conversão.

Deus havia dito que Jonas foi pregar em Nínive, entretanto o profeta desobedeceu e foi para Társis. O que é arrependimento? Jonas ir chorando para Társis? Não, ele mudar de rota e ir para Nínive.

Infelizmente, muitas pessoas acreditam que arrependimento é apenas chorar. Elas acham que, desde que estejam orando e chorando podem continuar fazendo as mesmas coisas. Em Ml 2:13-14 Deus diz que não estava ouvindo a oração de certas pessoas, ainda que a oração estava sendo feita com lágrimas e gemidos. Por quê? A resposta divina é que aqueles homens estavam sendo desleais para com suas esposas. Portanto, arrependimento aqui não era chorar e sim voltar para casa e parar de tratar mal as esposas. Sendo assim, Se você tem roubado, arrependimento é parar de roubar. Se você tem visto pornografia, arrependimento é deixar de ver.

É comum ouvir de uma pessoa amasiada, que não dá o dízimo, a seguinte frase: “Mas Deus é compassivo!”. Ora, Deus é compassivo com aqueles que se arrependem de seus pecados, mas implacável para com os que vivem em pecados (Is 59:2).

O arrependimento genuíno é doloroso, não por que nos faz chorar e sim por que nos faz mudar de rota. E amamos tanto o caminho de pecado que decidir mudar é sofrido (II Co 7:10). Mas lembre-se: chorar, porque mudamos de caminho é uma dor menor do que chorar por vivemos em pecado.

2-Arrependimento genuíno é um pesar diante de Deus

Saul pecou contra Deus, entretanto, diferente de Davi ele não foi perdoado. A questão não era o tipo de pecado de Saul e sim a qualidade do seu arrependimento. Em I Sm 15:30 o primeiro rei de Israel até diz que pecou, mas está mais preocupado em saber se Samuel continuaria com ele, do que se o Senhor permaneceria ao seu lado.

Já muitas pessoas como Saul, elas até choram, mas não pelos seus pecados, somente por suas circunstancias. O homem vem para igreja devido ao fato de sua esposa tê-lo

abandonado. Ele então chora, pede perdão a Deus e sua mulher volta para casa. Com isso ele volta para o mundo.

É claro que um arrependimento genuíno também começa com uma dor pela situação de caos em que vivemos. Ora, o filho pródigo pensou em voltar para casa no momento em que está no meio da lama. Entretanto, devemos nos lembrar que os problemas devem nos levar a chorar pelos nossos pecados e entender que a gente está triste não por que está sem dinheiro, família ou e sim sem Deus. Precisamos nos lembrar que a nossa maior necessidade é de estar em paz com o Criador, pois ele é o sentido da nossa existência.

3-Arrependimento genuíno culpa apenas a si

Quando o profeta Natã aponta os erros de Davi, o que o maior salmista da bíblia diz é: Pequei. Ele não declara: “Eu pequei, mas convenhamos, Bate-seba me influenciou muito, pois onde já se viu uma mulher ficar tomando banho na frente do palácio do rei”. Ele podia muito bem ter dito isto, mas não o fez visto que ele sabia de algo muito importante: você não vai mudar enquanto não entender que você e somente você é culpado.

É comum ouvir um crente dizendo: “Eu tenho orado para Deus me dar forças só que não tenho conseguido vencer as tentações”. Ora, o que você está me dizendo é que um filho pede ao Pai forças e o Pai nega? Que absurdo! Saiba meu querido, que no momento em que você faz esta oração você já tem a resposta. E ela é sim, Deus te capacita sim a vencer, se você peca é por que quer (I Co 10:13).

4-Um arrependimento genuíno não nos livra de novos erros

Pedro negou Jesus por medo dos outros enquanto Jesus estava sendo crucificado de depois, no livro de gálatas, mais uma vez tomou uma atitude errada por ficar com medo do que os judeus pensariam. Isto mostra que mesmo pessoas verdadeiramente arrependidas podem cometer os mesmos erros caso não vigiem.

I Jo 1:7 diz que se andarmos na luz temos perdão dos nossos pecados. A luz simboliza a santidade, enquanto que as trevas representam o pecado. Tá vendo? Mesmo aqueles que andam em santidade precisam de perdão, visto que ainda pecamos. Mas nós temos perdão já que quem anda na luz também tem dias de trevas, entretanto os ímpios não possuem perdão visto que apesar deles terem dias de luz, eles vivem em trevas.

Em outras palavras, o que estou querendo dizer é que um crente até peca, mas ele se levanta e tenta não cair de novo, por isto tem perdão. Enquanto que o ímpio nem tenta se levantar e mesmo assim quer perdão. Ele adultera, pede perdão já planejando adulterar de novo. Ora quem pede perdão assim não está arrependido, e, portanto não está perdoado.