IURD irá processar jovem que passou trote no “Fala que eu te Escuto”

Record acusa Programa Pânico de influenciar mal a juventude do Brasil

Depois de um trote feito no programa “Fala que eu te Escuto” da última terça (30), quando    um rapaz mostrou seu bumbum na webcam, a Igreja Universal do Reino de Deus decidiu abrir um processo.

Nesta sexta (02), o bispo Clodomir Santos, responsável pelo programa transmitido pela Record, confirmou que a Igreja irá processar Grazielle Consentini e seus pais. Eles serão responsabilizados civil e criminalmente pelo episódio. A menina estava no ar pelo Skype, falando sobre o tema obesidade infantil quando um jovem não identificado apareceu nu de costas na tela por alguns segundos.  O pastor Andre Cajeu, que apresentava o programa, cortou a imagem e sentenciou: “Algumas pessoas não têm nenhuma vergonha na cara”.

O programa de sexta do “Fala que eu te Escuto” convidou um advogado para participar, explicando quais processos podem e serão feitos: “Exposição ao ridículo de uma emissora de grande abrangência, além de dano moral e material, que pode acarretar em três meses a um ano de prisão”, explicou ele.
O bispo Clodomir disse saber que a mãe da menina estaria “desgostosa com tal situação [o trote]”. Também se pronunciou o bispo Antônio Bulhões, que participava da atração. “A menina não deve ter tido uma educação adequada, os pais não devem ter dado a atenção necessária para ela, tanto que ela é intelectualmente incapaz de pensar seriamente”, sentenciou.

Não é a primeira vez que o programa é alvo de críticas dos telespectadores, uma vez que é ao vivo e não há censura prévia. Em uma ocasião, o bispo Edir Macedo foi ofendido. No mês passado, uma jovem atacou a Record e a IURD. Porém, é a primeira vez que a emissora decide processar alguém por causa disso.
Entre as várias considerações feitas por Clodomir, a mais grave é acusar os integrantes do “Pânico na Band”, de serem os responsáveis pelo trote.  Ele foi direto: “Não sei como existem emissoras que financiam isso, que deixam programas, se é que podemos chamar isso de programas, são programinhas aí, pra influenciar mal os jovens. Essa nova geração são os filhos do ‘Pânico’, fazem tudo para denegrir a imagem dos outros. O problema não é a nudez, ou a crítica, é ela não respeitar um programa religioso, que ajuda muitas e muitas pessoas”.

Grazielle foi entrevistada pela Folha de São Paulo e disse que o programa “chama qualquer um” para participar. Por isso, “Fiz para eles ficarem espertos”, explicou. Ela contou em sua conta do Twitter que gravou uma matéria para o humorístico da Band, que vai ao ar neste domingo (04), o que aumentou a repercussão do caso. Com informações Na Telinha.

Veja o vídeo: