Campanha de oração pede pela "libertação" de Miley Cyrus

Miley Cyrus está endemoniada? Campanha de oração pede pela “libertação” da cantora

A performance da cantora pop Miley Cyrus no prêmio de música VMA, da MTV, entrou para história da internet. Foi o assunto que gerou mais tuites por minuto (cerca de 360 mil) desde o surgimento do microblog. No total, foram mais de 4,5 milhões de comentários somente nos EUA.

O assunto rendeu centenas de críticas de artistas, jornalistas e inclusive associações cristãs. Entre as criticas mais contundentes estão aquelas que lembram o passado de Miley, que foi estrela do seriado infantil Hanna Montana, da Disney. Por isso mesmo, ela ainda seria um exemplo para milhões de crianças. Muitos outros comentaristas lembravam que ela passou anos dizendo em entrevistas que era cristã, cria em Jesus e frequentava a igreja batista.
Aos 20 anos ela surge com uma roupa que simula nudez, faz movimentos que lembram a masturbação e incita sexualmente o cantor Robin Thicke, que também estava no palco. Tudo isso enquanto canta uma música que fala sobre o uso de drogas (We don’t stop) e faz um dueto em outra que é considerada um incentivo ao estupro (Blurred Lines).

Estranhamente (ou não) um trecho de Don’t Stop diz “Podemos beijar quem quisermos. Podemos transar com quem quisermos. Lembre-se: só Deus pode nos julgar”.
Desde 2010, Miley, nome artístico da menina que nasceu Destiny Hope, vem se distanciando da imagem pueril do seriado que estrelava. Ela já conta com 19 tatuagens, sendo que 4 delas são símbolos ocultistas: a palavra “karma”, o “olho que tudo vê”, o “om” sagrado do hinduísmo, e o dreamcatcher, um artefato usado por feiticeiros indígenas.

Também chamou atenção da mídia o fato de Miley ter mudado seu cabelo, optando por usar dois “chifrinhos” na apresentação no VMA, ironicamente classificada como “endiabrada”.

A revista evangélica Charisma publicou um artigo, assinado por Jennifer Leclaire, conhecida por seu ministério de intercessão, onde ela questiona se Miley não estaria sendo influenciada “pela mão de Satanás”. Por isso, está convocando uma campanha de oração pela libertação da cantora de 20 anos. Afinal, sua grande influência pode prejudicar o entendimento dos mais novos sobre o certo e o errado. Além do mais, o bisavô de Miley era pastor.

O que tem chamado mais atenção são as criticas da imprensa secular que reclamou do que foi visto no palco, entre os adjetivos usados estão “ridículo”, “de mau gosto” e “apelativo”. As críticas são voltadas para a MTV que permitiu que as imagens fossem ao ar em um programa voltado para crianças e adolescentes.

O Parents Television Council [Conselho de Pais sobre Televisão], grupo que luta contra a exibição de conteúdo explícito na TV, está abrindo um processo por que no intervalo foi apresentado um comercial de camisinha. Miley também foi alvo do Conselho, que curiosamente, tem o cantor Billy Ray Cyrus, pai dela, como seu membro mais famoso.

Billy Ray tem se negado a dar entrevistas sobre o assunto, limitando-se a dizer que sempre apoiará e amará sua filha. Dois anos atrás reclamou que havia perdido o controle sobre a carreira de Miley e afirmou “Satanás está atacando minha família… Temo pela minha filha… É assim que as coisas são. Sempre houve uma batalha entre o bem e o mal. Sempre haverá”. Com informações de Charisma News e Revista Time.