Lula critica postura do pastor Marco Feliciano

Em suposta conversa de Lula durante um evento na Alemanha, o ex-presidente teria criticado ferozmente postura de Feliciano. Na sexta ...


Em suposta conversa de Lula durante um evento na Alemanha, o ex-presidente teria criticado ferozmente postura de Feliciano.

Na sexta feira passada, o jornalista Leandro Mazzini publicou um comentário em sua coluna no jornal Diário de S.Paulo afirmando que, se Lula ainda fosse presidente, o deputado Marco Feliciano (PSC-SP), já teria “rodado” da presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara.

Open in new windowMazzini justificou sua afirmação citando uma suposta conversa do líder petista durante um evento em Leipzig, na Alemanha, onde o ex-presidente teria criticado ferozmente postura de Feliciano no cargo. A conversa, segundo o jornalista, aconteceu em uma roda de amigos, entre os quais estaria o deputado Ronaldo Fonseca (PR-DF), que teria repassado a informação sobre a conversa a outros parlamentares.

O jornalista destaca que Fonseca é evangélico, e um dos aliados de Marco Feliciano, o que o teria motivado a divulgar a conversa com o ex-presidente.

Através do Twitter, Feliciano comentou as afirmações de Mazzini, questionando se Lula realmente teria se preocupado em comentar sua gestão diante da Comissão durante um encontro entre líderes políticos mundiais. O deputado afirma que, ou se trata de uma mentira, ou as afirmações de Lula estariam revelando a existência de influentes “padrinhos políticos” do movimento LGBT dentro do atual Governo.

- Será que Lula, na Alemanha, podendo falar de Chefes de Estado se preocupou em falar de mim? Ou é mentira ou de fato a agenda GLBTT tem padrinhos fortíssimos no governo, incluindo Lula – afirmou Feliciano na rede social.

- Dilma despenca; o PT se divide; o líder do PT fala de bônus p base aliada; mensaleiros do PT condenados; e Lula se preocupa comigo? – completou o parlamentar, citando a recente queda de aprovação popular do Governo petista.

Procurada, a assessoria do deputado Marco Feliciano informou que o parlamentar só se pronunciará sobre o caso na próxima semana.

Via FG