Rob Bell se frustra em meio às questões sobre homossexualidade como pecado

O ex-pastor da mega-igreja Rob Bell apareceu em uma recente discussão de rádio com ministro cristão britânico Andrew Wilson, para discut...

O ex-pastor da mega-igreja Rob Bell apareceu em uma recente discussão de rádio com ministro cristão britânico Andrew Wilson, para discutir seu novo livro, What We Talk About When We Talk About (O que nós falamos quando nós falamos de Deus), e ficou frustrado quando pressionado por Wilson a explicar suas razões teológicas para afirmar a homossexualidade e os relacionamentos de mesmo sexo.


Bell e Wilson apareceram no programa de debate de fé do Reino Unido "Unbelievable?" (“Inacreditável?") hospedado por Justin Brierley na rádio Premier Christian. Wilson é um teólogo acadêmico e ancião no Igreja Kings em Eastbourne, East Sussex. Os homens, moderados por Brierley, começaram a discussão, debatendo vários assuntos durante o programa de uma hora, mas foi durante a discussão sobre a homossexualidade que Bell pareceu visivelmente ter ficado chateado.

"Você acredita que esta é uma área onde, na verdade, Deus está à frente da igreja, afirmando que os relacionamentos do mesmo sexo são realmente uma coisa de Deus e que no final vamos acabar vendo isso, no decorrer do tempo?" Brierley perguntou a Bell referindo-se aos comentários que ele fez em março.


O ex-pastor da igreja Mars Hill Bible revelou em março a sua aceitação do casamento gay, dizendo: "Eu acredito que Deus [está] nos puxando à frente para uma maior afirmação e aceitação de nossos irmãos gays e irmãs e pastores e amigos, vizinhos e colegas de trabalho". Anteriormente, Bell também havia afirmado que ele era "pelo casamento ... pela fidelidade ... pelo amor" seja com relações homossexuais ou heterossexuais.

"Acho que o navio já partiu e eu acho que a igreja precisa apenas ... este é o mundo que estamos vivendo e precisamos afirmar as pessoas onde quer que estejam", disse Bell em março.

Ele reiterou sua posição sobre a homossexualidade durante sua entrevista na Rádio Premier Christian na semana passada.


"Eu acho que é hora da Igreja reconhecer que temos irmãos e irmãs que são gays e querem compartilhar sua vida com alguém. Esta é uma parte da vida no mundo moderno e é assim que é. E a consciência cultural mudou, e isso é como o mundo é, e que o que está acontecendo para um monte de gente, é que eles não querem nada com Deus e com Jesus, porque eles não podem ver além dessa questão em particular", disse em resposta à pergunta de Brierley.



"O que eu não sei é o fundamento para essa afirmação ...", disse Wilson. Ele perguntou a Bell se ele diria que dois homens que fazem sexo não é pecado.

"Gostaria de começar, eu sou pela monogamia, eu sou a favor da fidelidade, eu sou pelo compromisso. Acho que o mundo precisa de mais do que isso. Acho que a promiscuidade é perigosa e promiscuidade é destrutiva", disse Bell. "Algumas pessoas são gays e querem compartilhar sua vida com alguém e eles devem ser capazes disso. É assim que o mundo é e devemos afirmar isso, devemos afirmar a monogamia, fidelidade e compromisso -... Tanto gays quanto heterossexuais". Ele continuou para acrescentar que ele não vê as relações do mesmo sexo como “destrutivas ou para o mal."

Wilson perguntou a Bell se sua observação era uma resposta positiva ou negativa à sua pergunta inicial sobre os atos homossexuais serem pecaminosos.

"O que eu estou tentando entender em minha cabeça é, você acha que é pecaminoso, mas precisamos nos ajustar porque o mundo mudou? Ou você acha que não é pecado e se assim for, você acha que a Bíblia não acha que é pecado e que Jesus não achava que era pecado?" disse Wilson.

"Eu não estou ciente de que Jesus menciona isso. Acho que você tem cerca de cinco versos que podem ser lidos de várias maneiras diferentes. E há uma grande tradição cristã, que vê isso como que há Escrituras que falam disso, mas eu não acho que você o torna um caso esmagadoramente (sic) contra isso", respondeu Bell.

Wilson, então, perguntou a Bell se sua posição é que os atos homossexuais "não eram um problema para Deus" e que, se ele diria que, se Paulo e Jesus entenderam adequadamente, as pessoas iriam ver que "eles realmente não tinham um problema com os homens terem sexo com homens".

"Eu acho que Paulo tinha a resposta para essa pergunta ligada à adoração de todos os tipos de outras divindades. Acho que foi tudo uma bola de pelo gigante nos dias de Paulo. E isso, para ele, que era o templo e lá estava o templo de outro deuses que se opunham ao Deus de Israel e que passou lá dentro. Então eu acho que quando Paulo estava falando sobre esta questão, para ele é ligada a todos os tipos de idolatria, todos os tipos de rejeição a Deus. Então, eu não quero puxar as diversas questões separadas. Eu não acho que eles tinham uma concepção cultural ... ", disse Bell, antes de ser cortado por Wilson, que, em seguida, deu um cenário de o apóstolo Paulo tendo que lidar com a homossexualidade na igreja em Corinto.

"Há dois gays na igreja em Corinto, eles estão fazendo sexo juntos, eles não estão adorando ídolos. Paulo diria: 'Isso é grande caras! vá para isso, faça mais do que isso ...’ É isso o que você acredita que é verdade de Paulo?" perguntou Wilson.

"Eu acho que Paulo não tinha esse quadro cultural ou concepção operacional em torno dele. Acho que ele tinha homens e meninos. Acho que ele tinha templos. Eu não acho que ele estava falando sobre o que estamos falando em 2013, que é de duas pessoas comprometidas em um relacionamento de pessoas do mesmo sexo. Assim, gostaria de começar por aí", disse Bell.

Enquanto a discussão finalmente terminou de forma amigável, as perguntas repetidas de Wilson sobre o apoio teológico de Bell para abraçar o homossexualismo levou o ex-pastor da mega-igreja a expressar a frustração com o que ele sentiu que era um desafio para o seu compromisso com Cristo.

Bell, que visitou o Reino Unido no mês passado para promover What We Talk About When We Talk About God, surpreendeu a comunidade cristã evangélica em março, quando ele manifestou o seu apoio ao casamento do mesmo sexo, embora ele já houvesse afirmado gays cristãos. A posição do pai de três é considerado pouco ortodoxo por muitos na comunidade cristã que acreditam que a Bíblia rejeita relações sexuais fora dos limites do casamento tradicional.

O fundador da Igreja Mars Hill Bible e sua família deixaram a congregação de Michigan, que ele fundou em 1999, para mudar para a Califórnia no ano passado, onde começou a desenvolver um programa de televisão inspirado na fé com o criador da série "Lost", Carlton Cuse. O livro best-seller de Bell “Amor Vence: Um livro Sobre Céu, Inferno, e o destino de cada pessoa que já viveu”, também foi considerado controverso por alguns que acreditam que desafia ensinamentos tradicionais em uma crença em Jesus Cristo e no inferno eterno, literal, necessário para o céu.


Com informações do Cristian Post | Ligado no Gospel