O prato do dia é atacar os heterossexuais como homofóbicos

Sem descrição


Num passado recente, a relação homo-afetiva era vista como algo vergonhoso. Depois passou a ser tolerado. Hoje faz-se apologia. Talvez amanhã vão querer que seja obrigatório



Desde Emmanuel Kant, com seu livro "A Crítica da Razão Pura" que a sociedade deixou de pensar de forma antitética.

Com o advento da pós-modernidade as pessoas não crêem mais em verdades absolutas. Nossa geração removeu os marcos e acabou com os limites. Nessa sociedade hedonista que defende a tolerância, a única coisa que não toleram é a verdade.

Aqueles que primam pelos valores morais absolutos são chamados de radicais e fundamentalistas. Porém, são os chamados tolerantes que saem às ruas levantando faixas, desfraldando bandeiras e gritando palavras de ordem, muitas vezes, com gestos obcenos e com palavras chulas. 



O prato do dia hoje é atacar os heterossexuais como homofóbicos. Nada mais distante da verdade. 

Uma coisa é reconhecer o direito de cada pessoa fazer suas escolhas; outra bem diferente é concordar com essas escolhas. Uma coisa é cada um fazer sua opção; outra coisa é impor sua opção para os outros. 

Num passado recente, a relação homo-afetiva era vista como algo vergonhoso. Depois passou a ser tolerado. Hoje faz-se apologia. Talvez amanhã vão querer que seja obrigatório. 

Os que querem impor a ditadura do relativismo moral esbarram no fato de que o povo cristão, em todos os tempos, em todos os lugares, sempre defendeu verdades absolutas. 

Primamos pela família, como instituída por Deus em Gênesis 2.24. Para nós, que adotamos a Bíblia como Palavra de Deus, sempre vai existir o certo e o errado. Disto não abrimos mão, pois somos governados não pela cultura prevalecente de cada geração, mas pela eterna Palavra de Deus!

Fonte: Guia-me /// Autor: Hernandes Dias Lopes /// Reprodução: LigadonoGospel.com
Cite fontes.