Homens, tratem bem as mulheres

''Como homens devemos tratar bem as mulheres e esse é um dos traços mais negligenciados por nós homens'' Homens tratem b...


''Como homens devemos tratar bem as mulheres e esse é um dos traços mais negligenciados por nós homens''


Existe um pequeno verso da Bíblia que tem me desafiado. Estou ponderando nessa pequena porção e sendo ensinado a ser um homem de verdade. Vivemos em um mundo repleto de meninos que pensam que são homens. A síndrome de Peter Pan está mais proliferada do que gostaríamos de adimitir. No entanto, e é exatamente isso que me machuca, até aqueles que se empenham para ser um homem nobre percebem, cedo ou tarde, que o caráter deles possuem traços dos eternos homens meninos. É triste, mas é verdade. Não se trata de algo irreversível, mas a solução é acompanhada de muita dor, lágrimas e frustrações.

1 Tm 5:2 diz o seguinte: “trate… as moças, como irmãs, com toda pureza”. Como homens devemos tratar bem as mulheres e esse é um dos traços mais negligenciados por nós homens.  Tratar bem as mulheres não se resume apenas em não fazer algo de ruim a elas. Trata-se de uma soma, não de um subtração.  Os homens as tratam bem quando não abusam delas de nenhuma forma e quando as tratam com respeito e dignidade. Se o nosso tratar se resume em não fazer nada de errado, estamos errando. É sobre esse segundo ponto que 1 Tm  5:2 fala. Somos chamados a fazer isso. É uma questão de postura, de nobreza e de uma resoluta convicção.  Somos ensinados que devemos tratar todas as mulheres bem. Não importa quem elas sejam. Mãe, esposa, irmã, amiga. Todas estão no pacote.

Nesse versículo, o foco está na mulher jovem que não é nossa esposa. Somos desafiados a tratá-las como irmãs com toda pureza. Ou seja, somos chamados para protegê-las, para tratá-las com dignidade, respeito, amor, compreensão, misericórdia, com graça. Somos chamados para encorajá-las no caminho da santidade, no caminho certo, no caminho com Deus. Somos chamados para honrá-las.

A pergunta que surge é: temos feitos isso?

Esse texto é um lembrete do chamado sublime que nós homens temos. Ei, cara, trate bem as mulheres da sua vida, especialmente as mais jovens.

Autor: F.P. Mastrillo