Feliciano diz que vivemos o início de uma perseguição religiosa

O deputado lembra que está sendo acusado de um crime que não existe no Brasil. Em entrevista ao canal da CPAD News, o deputado federal...

O deputado lembra que está sendo acusado de um crime que não existe no Brasil.


Em entrevista ao canal da CPAD News, o deputado federal pastor Marco Feliciano (PSC-SP) comentou sobre as perseguições que tem sofrido e anunciou que tudo isto é apenas o início de uma perseguição religiosa.

O parlamentar que assumiu a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias sob diversos protestos também comentou sobre a moção de apoio assinada pelos pastores da igreja Assembleia de Deus que estavam reunidos em Brasília para participar da 41ª AGO.

Feliciano diz que ficou surpreso com a moção de apoio aprovada por todos os pastores presentes. Ele lembrou que uma publicação havia divulgado que a AD não estava de acordo com sua postura e que não o apoiaria.

“Essa moção me deixou emocionado, porque hoje eu acordei com uma notícia de que a minha igreja teria dado as costas pra mim”.

Depois de saber que seu ministério está de acordo com sua permanência na CDHM, Feliciano diz que está mais fortalecido. “Tudo o que estão fazendo comigo é o início de uma perseguição religiosa”, disse.

Como deputado, ele diz que nesses mais de dois anos de mandato sempre lutou em favor da família tradicional o que tem gerado ódio naqueles que são contra a esses princípios.
Feliciano citou também que está sendo processado por homofobia, um crime que não existe no código penal brasileiro. 

“O que o Brasil todo está vendo acontecer comigo é aprovação impositiva do PL 122″.“O artigo 5º da Constituição Federal me guarda e me protege. Eu tenho direito de expressão, liberdade de expressão e liberdade de consciência”.

 Leiliane Roberta Lopes Gospel Prime /// Via Ligado no Gospel Cite Fontes


Assista:  

Curta Ligado no Gospel no Facebook.