Jean Wyllys recebe campanha de oração

Segundo a assessoria de imprensa do parlamentar Jean Wyllys, o mesmo teria pedido uma proteção policial, decisão tomada depois de “cente...


Segundo a assessoria de imprensa do parlamentar Jean Wyllys, o mesmo teria pedido uma proteção policial, decisão tomada depois de “centenas de insultos e ameaças à vida e segurança do deputado recebidos nos últimos dias”.
Na visão de Wyllys, as campanhas difamatórias contra ele seriam iniciadas e incentivadas por pessoas ligadas ao pastor Marco Feliciano. Segundo uma nota oficial, “inclusive por funcionários da própria Câmara dos Deputados lotados no gabinete do deputado pastor”.
Além disso,  Wyllys, e também parlamentares petistas, Domingos Dutra (MA) e Erica Kokay (DF), entraram com “representações criminais contra os autores e divulgadores de vídeos, imagens e notícias que caluniem ou incitem a violência, publicados em redes sociais e portais de notícias”. O motivo principal seria o vídeo produzido por aliados de Marco Feliciano que mostra várias cenas dos opositores ao fato do pastor ocupar a presidência da Comissão de Recursos Humanos e Minorias.
O parlamentar do PSOL já disse estar indignado com as várias mensagens suas associadas a frases que ele nunca disse sendo divulgadas com palavras de ódio contra ele e pedindo sua cassação.
Em meio a tudo isso, os responsáveis pela “Missão Ctrl-S” estão utilizando as redes sociais para divulgar uma campanha “em favor” de Jean Wyllys. Seu objetivo não é politico, mas sim espiritual.
“O Jean Wilys não está ouvindo, nem lendo, suas críticas nas Redes Sociais. Mas Deus ouve suas orações. Ore. Deus é mais poderoso que suas críticas” 
É o que diz o texto divulgado. A imagem do deputado sorrindo vem acompanhada dos primeiros versículos da carta bíblica de 1 Timóteo:
  “Exorto, pois, antes de tudo que se façam súplicas, orações, intercessões, e ações de graças por todos os homens, pelos reis, e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranquila e sossegada, em toda a piedade e honestidade”.
A “Missão Ctrl-S”, cujo nome remete ao atalho usado por softwares para o comando salvar, parece seguir a tônica da Rede Fale, que em meio a tantas polêmicas envolvendo líderes religiosos e políticos, tentam mostrar que os evangélicos não são todos iguais. "E não são mesmo"!
com informações de: Gospel prime